domingo, 13 de dezembro de 2015

Vamos falar sobre mel: Resenha do Xerjoff Mamluk

(me  perdoem  a ausência  de imagens.  Sem note   só  no celu).



Quem é  vivo.... Pode desaparecer.  Ok,  assumo,  ando sumida (apesar de estar ativa nos -  muitos - grupos perfumistico no Facebook).  Tenho muitos perfumes (em frasco)  para resenhar e centenas deles em decants. 


Darei preferência à  eles (decants)  pois podem oxidar mais  rápido e tenho ícones da perfumaria de nicho que  me obrigo a falar. 

Hoje teremos um nicho ryco.  Xerjoff é  uma perfumaria de nicho luxuosa,  italiana,  criada por Sergio Momo em 2003. Aqui o negócio é separar "o joio do trigo".  Ter um frasco da marca é  para  poucos.  Me contento  com a amostra .

Ao  borrifar na pele  levo um " punch"  de mel de flor de laranjeira.  Sim,  sou da roça e sei distinguir qual a flor que a abelha buscou o sumo para fazer o mel.  O mel de flor de laranjeira é  doce e delicado sem aquele lado herbáceo e medicinal  do mel de eucalipto.

Procuro detectar outras notas escondidas atrás do doce melifluo  e encontro uma nota resinosa ou amadeirada macia e adocicada.  Sândalo,  Benjoin? Baunilha,  limão,   E sim.  Senti a flor.  Essa identifiquei  de cara,  um limpo jasmim doce sem a faceta animálica. 

Tudo isso antes de consultar o Fragrântica.  Quando vi que  tinha acertado boa parte das notas, foi como  ganhar na mega-sena. Me sinto iniciante ainda,  ainda que tenho experiências na área  a mais  de 10 anos.  Há  pessoas com a metade da minha idade e já  sabem muito mais,  ou tem talento  nato  ( David  Magalhães e Henrique Perrella).  

Na  verdade Mamluk não  é  complexo.

Eis suas  notas (não descreve  pirâmide.  Você  que descobre há! Esse é  o fascínio dos nichos. Nada  é  muito  óbvio).

 Almíscar. Osmantus,   flor de  Laranjeira (acertei no tipo do mel (de flor de laranjeira), jasmim,  ambar e benjoim seguido de baunilha   limão   oud  e caramelo. 

Opinião  pessoal: É um perfume  doce e quente.   Não  animálico nem nostálgico. Mas  intoxicante,  doce,  flores que acentuam esse aspecto  é um benjoim que perfaz  a " madeira  doce". 

Sim.  Ele é  bem doce  mas seu poder glicemico não não é óbvio. Acredito que possa  ser usado  por diabéticos.  

 É  quase minimalista em sua  pirâmide onde o rei é  o mel.  Precisa gostar desse aroma meloso para curtir a fragrância porque ele  quase "amassa"  as demais notas que são  coadjuvantes. É  um perfume  onde  o palco é  o mel.  As demais notas interagem discretamente.  Sua evolução é  lenta,  muda devagar e sutilmente. 

Eu mesma ando saindo das  doçuras.  Mas esse  me conquistou por ser provocativo e não  óbvio.  

Um perfume  "melado"  mas não  um gourmandices óbvio. Uso  para o frio (estou testando no ar condicionado) .  


Oud? Não senti.   Ou meu nariz fundiu de tanto  perceber o oud no Raghba e nos óleos da Al Hehab.

De qualquer  forma,  opinião sobre perfumes é  sempre pessoal.  Não Tome  o meu testemunho como algo estanque. Experimente  antes. 


Bjxxxx  de K-pax
CARLA 












Nenhum comentário:

Postar um comentário

Apimente o PV, seu comentário é muito importante!